sexta-feira, 30 de abril de 2010

Imagem de hoje


"A inimizade é a ira à espera da oportunidade de vingar-se".
(Sêneca, filósofo latino, 4 a.C. - 65 d.C.)

Odontologia: Cuidado com os kits para clareamento que se compra pela internet.

Clareamento dental está mais barato, mas dentistas alertam para o perigo dos kits caseiros


Por Maria Vianna

RIO - Clarear os dentes em casa ou no consultório do dentista está virando uma opção cada vez mais viável para quem está com o sorriso manchado. O dentista Marcelo Fonseca, fundador da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE), explica que as novas tecnologias deixaram o procedimento mais rápido e eficaz, principalmente para quem está com os dentes naturalmente amarelados por causa do café, do cigarro, dos refrigerantes, do mate e do vinho tinto.

- O clareamento não é para pessoas com dentes sensíveis ou que tenham restaurações do tipo coroa, que não clareiam como os dentes naturais. Jovens até 16 anos devem evitar este tipo de procedimento também - explica Fonseca.

"O clareamento não é para pessoas com dentes sensíveis ou que tenham restaurações do tipo coroa".
-------------------------------------------------------------------------------------------------
No consultório, o clareamento pode ser feito com auxílio do laser ou apenas com aplicação do gel clareador em concetrações mais altas do que as usadas em casa. O resultado aparece em até quatro sessões e custa em torno de R$ 1 mil.

O clareamento feito em casa é um método confiável e que também dá bons resultados. Custa cerca da metade do preço cobrado nos consultórios, mas é mais demorado. Só deve ser feito com a supervisão do dentista, que vai indicar a melhor fórmula para o tipo de mancha nos dentes. O resultado de ambos os tratamentos dura cerca de dois anos.

As placas, pastas e géis vendidos nas farmácias, afirma Fonseca, não costumam trazer muitos resultados.

- Em sua maioria o efeito é desprezível por ter concentração muito baixa da substância clareadora.

Risco de alergias e danos no esmalte
A cirurgiã-dentista Patrícia Touma alerta para os perigos dos kits vendidos na internet, que podem causar sensibilidade nos dentes, irritação nas gengivas e até problemas gastrointestinais.


- Não é recomendável fazer o clareamento por conta própria, pois o tratamento deve ser individualizado. Só um profissional faz a moldeira personalizada e indica a concentração ideal de gel e o tempo do tratamento, que varia de pessoa para pessoa. Portanto, o tratamento feito no consultório é mais eficaz do que o doméstico - diz a especialista.

Entre os principais riscos provocados pelo uso do kit caseiro estão: a ingestão inadequada do gel clareador, que pode provocar queimação e outros problemas gastrointestinais; a sensibilidade dos dentes; e reações nas gengivas, como coceira e ardência.

- O uso do gel não deve ser feito em dentes com cárie, tártaro ou doenças periodontais, com sangramentos ou feridas na mucosa oral. Por essa razão, o indicado é procurar um dentista para colocar uma proteção para o gel não entrar na dentina (camada depois do esmalte) e romper o esmalte, causando sérios riscos à saúde bucal - completa Patrícia, que alerta que os problemas nem sempre surgem imediatamente. Muitas vezes os problemas aparecem em até cinco anos depois da aplicação.


Fonte:


Imagem:
http://www.soledade.com.br/principal.php?site=colunas&link=ler_graciele&id=4

Opinião de André: O importante é que todo procedimento que envolva a saúde da cavidade bucal seja acompanhada e supervisionada por um profissional, no caso específico, um cirurgião dentista.

Internacionalização da Amazônia segundo Cristóvam Buarque

Recebi esse texto por e-mail e compartilhá-lo com vocês.


Fala do senador Cristóvam Buarque nos Estados Unidos sobre a
Internacionalização da Amazônia






Essa merece ser lida, afinal não é todo dia que um brasileiro dá uma "saculejo" educadíssimo nos norte-americanos!

Durante debate em uma universidade, nos Estados Unidos,o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.

O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.

Esta foi a resposta do Sr.Cristóvam Buarque:

"De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso".

"Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade".
"Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro.O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço."

"Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país".
"Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação".

"Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França".
"Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês,decidiu enterrar com ele, um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado".

"Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro".

"Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil".

"Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola".




"Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro".

"Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo. Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa!"


DIZEM QUE ESTA MATÉRIA NÃO FOI PUBLICADA, POR RAZÕES ÓBVIAS. AJUDE A DIVULGÁ-LA, SE POSSÍVEL FAÇA TRADUÇÃO PARA OUTRAS LÍNGUAS QUE DOMINAR.


segunda-feira, 26 de abril de 2010

Odontologia: Robô-cobaia japonês

Robô-cobaia japonês "sofre" de dor na cadeira de estudantes de odontologia


Da France Presse

A cada vez que o estudante de odontologia liga o motor e não o aplica corretamente, Hanako é estimulada a gritar de dor. Seu calvário chega ao fim, no entanto, quando o futuro dentista consegue executar o gesto com mais esmero. A paciente não protesta mais.


Sentada na cadeira do consultório odontológico de uma universidade de Tóquio, a robô-cobaia, humanóide da cabeça aos pés, suporta todas as torturas que lhe são infligidas.


Hanako, concebida no laboratório da Universidade Waseda em conjunto com a empresa de robótica Tmsuk, é a terceira geração de andróide imaginada, e a que deu mais certo.


A boca de Hanako Showa é cheia de dentes e possui, inclusive, zonas sensíveis, podendo movimentar a língua, salivar e responder a perguntas do dentista, graças a um dispositivo de reconhecimento e síntese vocais.


Em caso de dor, Hanako geme, vira bruscamente a cabeça e arregala os olhos, fecha a boca ou joga o braço para trás - gestos considerados de risco, tanto para a paciente quanto para o futuro dentista. "Se você sentir alguma dor, levante a mão esquerda", ouve, repetidamente.


Quando a intervenção é mais longa, ela demonstra sinais de fadiga e não consegue manter, direito, a boca bem aberta.


"O número de incidentes registrados na cadeira de dentista é considerado duas vezes maior no primeiro ano de exercício do profissional do que no segundo", explica o professor Kotaro Maki da Universidade Showa de Tóquio.


Outra lacuna diz respeito à comunicação com uma pessoa que sofre, diz Maki.


"Com o robô, os estudantes podem repetir os exercícios inúmeras vezes e melhorar os erros, adquirindo experiência", insiste.


Os robôs-cobaia são, segundo ele, uma solução a qual o Japão tem todo o interesse em levar adiante.


"Com o robô, a gente se sente mais próximo da realidade. Ao contrário dos meios antigos, Hanako reage espontaneamente, como uma verdadeira paciente", comenta um estudante, Shugo Haga.


Fonte:
http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL1545104-9356,00-ROBOCOBAIA+JAPONES+SOFRE+DE+DOR+NA+CADEIRA+DE+ESTUDANTES+DE+ODONTOLOGIA.html

Fotos:




sexta-feira, 23 de abril de 2010

Sugestão de música

CD - Verônica Sabino - Passando a limpo

Demais

Foi um vento que passou,
Que te trouxe e te levou.
Deixando no corpo a marca do amor.
Que ficou no ar, ilusão no ar.
A chuva que esse vento traz.
Faz com que me lembre mais.
De todos os sonhos que a gente sonhou.
Planejou demais, demais.
Bem que eu podia tentar te encontrar.
Mas o vento forte, que me afastou, te levou, te escondeu longe demais.
A chuva que esse vento traz.
Faz com que me lembre mais.
De todos os sonhos que a gente sonhou,
Planejou demais, demais.
E cada vento que soprar.
Pode te fazer voltar.
E chega o vazio que ficou no ar.
Que marcou demais.
Me marcou demais
Me marcou demais.

Video: Enya - Caribbean Blue

Uma beleza inacreditável.

Medicina: Pressão Arterial

Verifique sua pressão arterial, a hipertensão causa derrames e insuficiência renal


Recebi esse e-mail:

Hoje, como já aconteceu outros dias, acordei com muita dor de cabeça, depois de tomar um medicamento, fui trabalhar, chegando lá um colega me perguntou o que eu tinha – Dor de cabeça, muita dor de cabeça. Ele veio verificar minha pressão arterial, feito isso, o resultado, a minha pressão estava alta.

Em outra ocasião, no passado, quando também tive uma dor de cabeça, verifiquei a pressão e estava ligeiramente elevada, dias depois repeti o procedimento e não foi verificado alteração, por isso, esqueci deste fato ocorrido anteriormente, mas hoje novamente aconteceu, pressão elevada, um início de hipertensão, estou na faixa da pre-hipertensão.

A doutora solicitou acompanhar os valores diariamente para avaliar a real intensidade do problema, mas uma certeza eu tenho, vou ter que fazer algumas mudanças na vida, e uma delas comecei a articular esta semana, visando redução do estresse, depois falo mais desta minha intenção. No final do texto tem um link para dicas nutricionais em casos de hipertensão.

Lendo um bom post de Marcus Erin, comentando sobre pressão alta, relatava um caso de Marie que depois de uma puxão de orelha do seu médico ela mudou o comportamento com relação a doença, sua vida cotidiana passou a ser diferente, adotou medidas indicadas pelo programa de pressão arterial elevada dos EUA que recomenda mudanças para as pessoas com “pre-hipertensão”, que é a pressão arterial acima do normal, mas ainda na faixa de hipertensos (120-139 para o número maior, ou sistólica, e de 80-89 para número menor, ou diastólica), depois de 2 anos sua pressão arterial baixou para valores normais, e ela não precisa mais medicamentos, as dores de cabeça e falta de ar que costumava experimentar também recuaram.

Segundo o programa americano os estágios da pressão arterial são:


Estágio ———– Sistólica (Número superior)/ Diastólica (Número abaixo)
Normal ——————- Inferior a 120 / Menos de 80
Pre-hipertensão ——— 120–139 / 80-89
Pressão elevada F1 —- 140-159 / 90-99
Pressão elevada f2 —- 160 ou mais / 100 ou mais


Erin destaca que pressão arterial elevada é uma das razões mais comuns para as pessoas desenvolverem derrames, problemas cardíacos e insuficiência renal.

O programa Americano aponta algumas medidas importantes para controle e redução da pressão arterial:

Atividades físicas;
Alimentação a base de frutas, vegetais, alimentos que são baixos em gordura.;
Restringir ingestão de sódio;
Perder peso;
Não fumar;
Reduzir o consumo de álcool.


Respeitar a indicação medicamentosa e frequência de uso do medicamento prescrito pelo médico.
No Brasil o Ministério da Saúde tem uma cartilha educativa: “Tratar Pressão Alta é um ato de Fé na vida”, o SUS mantem programas implementados pelos gestores de saúde municipal para hipertensos, incentivando consultas regulares, atividades físicas e fornecimento de medicação para tratamento / controle da doença.

Procure seu médico, ou o posto de saúde mais próximo de sua residência para fazer uma consulta, verificar a pressão arterial e ser for necessário realizar o acompanhamento deste sério problema de saúde pública.

Cartilha no Ministério da Saúde:

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Slow Food: Uma nova maneira de se alimentar bem


O Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos fundada em 1989 como resposta aos efeitos padronizantes do fast food; ao ritmo frenético da vida atual; ao desaparecimento das tradições culinárias regionais; ao decrescente interesse das pessoas na sua alimentação, na procedência e sabor dos alimentos e em como nossa escolha alimentar pode afetar o mundo.

O Slow Food segue o conceito da ecogastronomia, conjugando o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade, reconhecendo as fortes conexões entre o prato e o planeta. Hoje conta com mais de 100.000 associados que formam e mantêm nosso movimento.

Defesa da Biodiversidade

Segundo o Slow Food, o prazer de saborear boa comida e bebida de qualidade deve ser combinado com o esforço para salvar os inúmeros grãos, vegetais, frutas, raças de animais e produtos alimentícios que correm perigo de desaparecer devido ao predomínio das refeições rápidas e ao agronegócio industrial. Através da Arca do Gosto, das Fortalezas (patrocinado pela Fundação Slow Food para Biodiversidade) e do Terra Madre, Slow Food busca proteger nosso inestimável patrimônio gastronômico.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Odontologia - Câncer Bucal - reportagem

Previna-se contra o Câncer bucal enquanto haja tempo. Pare de fumar, não beba ou beba com moderação, tenha hábito de vida e alimentação saudável e aproveite o que a vida tem a lhe oferecer de bom, e olha que na vida tem infinitas coisas boas para viver e aproveitar.

Viva a saúde bucal!

Odontologia: Câncer Bucal (Pare de Fumar)

Câncer bucal e o tabagismo. Alerta!

domingo, 18 de abril de 2010

Atenção à Saúde Bucal - Kit de higiene


Comissão aprova inclusão de kit de higiene bucal na cesta básica


A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou nesta quarta-feira (14) a inclusão obrigatória de três escovas de dentes, dois cremes dentais e um fio dental em todas as cestas básicas produzidas, comercializadas e distribuídas no País.

A medida está prevista no Projeto de Lei 4281/08 , do deputado Arnon Bezerra (PTB-CE), que ainda prevê o fim da cobrança do PIS/Pasep Programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). São mantidos pelas pessoas jurídicas – com exceção das micro e pequenas empresas que tenham aderido ao Simples –, que são obrigadas a contribuir com uma alíquota variável (de 0,65% a 1,65%) sobre o total das receitas. Esses recursos são destinados ao trabalhador em forma de rendimentos ou abonos salariais. e da Cofins Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social. É um tributo cobrado pela União para atender programas sociais do governo federal. Incide sobre o faturamento bruto das pessoas jurídicas de direito privado em geral, inclusive as pessoas a elas equiparadas pela legislação do Imposto de Renda, exceto as micro e pequenas empresas submetidas ao regime do Simples. Sua alíquota geral é de 3% – ou 7,6% na modalidade não-cumulativa. sobre esses itens de higiene bucal quando destinados a cestas básicas.

O relator, deputado Neilton Mulim (PR-RJ), defendeu a proposta como forma de beneficiar a saúde de brasileiros com dificuldade de acesso a serviços dentários. "Essa ação contribuirá para reduzir as cáries e os dentes perdidos da população, diminuindo a demanda por procedimentos reparadores", disse.


Leia a notícia de odontologia completa em:
http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/SAUDE/146850-COMISSAO-APROVA-INCLUSAO-DE-KIT-DE-HIGIENE-BUCAL-NA-CESTA-BASICA.html


Fontes: www2.camara.gov.br e,

sábado, 17 de abril de 2010

Cidade de Araguaína- Tocantins

Mensagem

“Muitos dizem, pior do que isso impossível, acredite, pode piorar, enquanto você pensar assim, certamente ficará cada vez pior. Seja otimista, grandes oportunidades surgem nos piores momentos, se você souber vê-las”.

A vida tem altos e baixos, quando estamos no alto tudo parece claro, nítido, temos força, coragem e determinação para superar todos os obstáculos que nossa vista alcança, a motivação e o espírito de liderança são nossos aliados, ninguém pode nos vencer. Mas nos momentos de baixa nos falta força, coragem, auto estima e bom senso, às vezes perdemos a fé e os pensamentos ficam turvos, nestas horas você deve acreditar, invocar as forças motivacionais que existem em seu interior e gritar bem alto: TUDO VAI FICAR MELHOR!


Autor: Ágape

Visite o site http://blig.ig.com.br/pensamentosdevida

Alice no País das Maravilhas - crítica


Alice no País das Maravilhas


Tim Burton é um daqueles diretores com estilo próprio, que tem uma marca registrada em todas as sua produções. Dono de uma criatividade peculiar, ele é o responsável por algumas obras-primas do cinema, como Edward Mãos de Tesoura, Peixe Grande, Ed Wood e A Lenda do Cavalheiro sem Cabeça. Mesmo os fãs de Batman que torcem o nariz para o primeiro longa do homem morcego, dirigido por Burton em 1989, precisam admitir que o cineasta fez uma Gothan City impecável e transformou o Coringa de Jack Nicholson em pergonagem célebre.


Fazendo boa bilheteria nos EUA e chegando ao Brasil no feriado de 21 de abril, Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland) é um dos filmes mais esperados do ano. Em versão 3D e com visual pop, o longa deve ser encarado como uma respeitosa homenagem ao clássico de Carrol, nada além disso.



A primeira hora do filme é chata pra caramba, daquelas chatices que fazem você bocejar e até dormir no cinema. Alice (a pálida e insossa Mia Wasikowska), agora uma jovem que vai ser pedida em casamento, não se lembra do País das Maravilhas, mas é visitada pelo coelho e acaba sendo levada para lá novamente.

Em Wonderland reencontra velhos amigos como o Chapeleiro Louco (Johnny Depp em atuação pouca expressiva) e descobre que a malvada Rainha Vermelha (a ótima Helena Bonhan-Carter) está dominando o lugar.

Visualmente o filme é bacana, com direção de arte e fotografia impecáveis. Aliás, a parte técnica é um luxo, dando ao longa um status de grande produção que fez valer cada centavo investido. Alice usa vestidos deslumbrantes, o que torna o figurino da personagem um dos mais originais já vistos no cinema.


O 3D dá uma noção de profundidade interessante em algumas cenas, mas não chega a ser fundamental como em Avatar. E, ao contrário do filme de James Cameron, Burton trabalha com o visual, mas sabe contar uma história.

Porém, é preciso admitir que o Tim Burton dos anos 1990 era bem mais legal que o dos anos 2000. Nesta década ele fez filmes como os remakes de Planeta dos Macacos e A Fantástica Fábrica de Chocolate, ambos sem brilho o suficiente para fazer parte da cinebiografia memorável do cineasta.


Se você não tem muita expectativa, Alice no País das Maravilhas vai divertir na medida certa. Para os que acham que este é o filme do ano, no entanto, a decepção pode ser enorme. De qualquer forma o filme cumpre o que Burton sempre faz em suas produções: é uma ode ao cinema esteticamente perfeito. Em outros tempos, em se tratando de Tim Burton, isso também significava um cinema inesquecível e encantador. Mas dessa vez ficou só na estética mesmo.


Nota: 3 estrelas

Crítica por: Janaina Pereira (Cinemmarte)

Fonte: http://www.cinepop.com.br/criticas/alicenopaisdasmaravilhas_101.htm

Motivação e Comunicação: analise essa idéia!




Comunicação e motivação: uma questão de relacionamento humano



Por Gustavo Gomes de Matos




Comunicação e motivação consubstanciam uma relação de causa e efeito. Num ambiente em que haja comunicação e diálogo, existe motivação para superar desafios e metas. Quando existe uma relação de confiança e de entendimento entre gestor e funcionários, uma crise pode servir para unir e motivar as pessoas a encontrar soluções e novas idéias, capazes de transpor os mais difíceis obstáculos.
A maioria das empresas prefere resolver as crises de portas e bocas fechadas. A direção resolve e ninguém fica sabendo. Algumas vezes dá certo, mas, quase sempre, o resultado é medíocre e o problema retorna pior do que antes.

Se uma mudança estratégica ou uma crise interferem diretamente na atuação do funcionário, a transparência, a honestidade e a ética são fundamentais, pois, sem elas, dificilmente a empresa conseguirá o engajamento dos seus colaboradores na busca de soluções.

Um ambiente favorável à comunicação interna, com lideranças engajadas em promover e consolidar a Cultura do Diálogo, é capaz de encorajar a manifestação de idéias e sugestões que podem originar inovações e identificar soluções altamente rentáveis para a empresa como um todo. A transparência das ações, a honestidade de propósitos e a ética corporativa trafegam necessariamente pelo caminho da abertura para a comunicação. Em um quadro de crise empresarial, independente de ser patrão ou empregado, a Cultura do Diálogo cria vínculos que se traduzem em comportamentos positivos e pró-ativos, ou seja, o gestor presta, de fato, atenção ao que o colaborador tem a falar e vice-versa.

Na verdade, o gerente não está na posição que ocupa para dar ordens inquestionáveis, mas para prestar atenção ao que o funcionário diz e procurar gerar um clima de envolvimento e motivação pelo trabalho. Afinal, todos estão ali para que se cumpram a missão, os objetivos e as metas da empresa, que, supõe-se, sejam de conhecimento amplo e orgânico de todos que para ela trabalham.

Ao executar uma tarefa, transmitida de forma unidirecional, sem a possibilidade de questionamentos, e ainda por cima, muitas vezes, mal redigida ou mal verbalizada, o profissional tende a interpretar errado o que se espera dele e de seu desempenho. Os resultados são enganos, falhas e incorreções na execução do trabalho, dos mais simples, aos mais sofisticados tecnologicamente.

Muitas empresas investem pesadamente em canais para melhorar a comunicação interna. No entanto, os resultados não aparecem e surge a pergunta: onde está o erro? A resposta está na ausência do ouvir, na fraqueza dos relacionamentos entre as lideranças e suas equipes. A falta do diálogo, de abertura à conversação, de uma estimulante troca de idéias, impressões e sentimentos são, sem dúvida alguma, o que mais prejudica o funcionamento de organizações.

A comunicação corporativa é um processo diretamente ligado à cultura da empresa, ou seja, aos valores e ao comportamento das suas lideranças e às crenças dos seus colaboradores. Não adianta a empresa importar modelos de controle de qualidade e sistemas de tecnologia da informação se, internamente, não existe um ambiente de abertura para a conversação e a troca de opiniões. Uma questão é certa, a má comunicação só traz complicação e prejuízo. Estatísticas mostram o grande número de falências de empresas que não souberam superar um contexto de crise econômica, devido à inabilidade em negociar, conversar, ou melhor, ouvir os seus clientes, fornecedores e funcionários.

Da mesma maneira, de nada vale produzir um jornal dos funcionários, terem rádio ou televisão corporativa, ou criar programas de debates e reflexão, se as lideranças da empresa não se entendem e não se respeitam. Só uma cultura da comunicação consolidada é capaz de promover terreno propício para, a partir de uma salutar troca de idéias e opiniões simplificar e solucionar os problemas organizacionais que, na maioria das vezes, estão ligados à desvalorização do relacionamento humano.

A improdutividade, a perda de clientes, o defeito de máquinas e equipamentos, os acidentes de trabalho e o não cumprimento de prazos e metas são algumas das conseqüências geradas pela falta de diálogo e comunicação nas empresas. É comum em um ambiente fechado à conversação, a distorção das informações administrativas e gerenciais, o que ocasiona grandes índices de desperdício e altos custos oriundos do trabalho que precisa ser refeito.

Conflitos, brigas e disputas internas, entre diretores, gerentes e funcionários, são conseqüências muito comuns e constantes nas empresas que desconsideram a importância do diálogo.

Na atualidade, o maior desafio do mundo empresarial é incentivar o saudável exercício do diálogo aberto e franco, sem rodeios ou intolerâncias, favorecendo assim a convivência das diferenças. A diversidade de pensamento contribui para o enriquecimento da criatividade da empresa na busca de soluções e inovações. Pessoas com pontos de vista diferentes podem trabalhar juntas e integradas por objetivos comuns. Isso depende apenas de uma estratégia de empresa interativa, que envolva a participação de todos no seu processo de planejamento para o sucesso. Comunicação é vida, é emoção, é sentimento, é plenitude humana. Não perca a oportunidade de ouvir e falar com todo o seu ser: ouvidos, boca, consciência, coração, corpo e espírito. Pessoas e empresas que compreendem a essência dessa mensagem costumam ser bem-sucedidas em suas áreas de atuação.

Fontes: http://www.fgmconsultoria.com.br/motivacao.htm
http://bbel.uol.com.br/upload_2009/conteudo/motivacao_111110910225437.jpg
http://1.bp.blogspot.com/_EGmuJFgRDPU/SwH8o3vG7SI/AAAAAAAAAV8/27Y643sEoNs/s1600/motivacao.jpg

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Medicina: Novidades sobre o funcionamento do cérebro


Cérebro divide tarefas simultâneas entre suas metades


Um experimento francês mostrou que, quando uma pessoa executa duas tarefas ao mesmo tempo, o cérebro divide o trabalho: a metade direita cuida de uma delas e, a esquerda, de outra. A descoberta parece banal, mas gerou surpresa: o cérebro não costuma repartir coisas de modo simples.

O trabalho, realizado no Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica, em Paris, foi conduzido pelos neurocientistas Sylvain Charron e Etienne Koechlin, com 32 voluntários.



Todos tiveram seus cérebros monitorados por uma máquina especial de ressonância magnética enquanto realizavam tarefas passadas pelos cientistas.

O teste começava com as pessoas tendo de montar um quebra-cabeça de letras que vinham embaralhadas. Cada vez que obtinham sucesso, eram recompensados com uma pontuação.

Enquanto voluntários se ocupavam do jogo, a ressonância mostrava que uma parte específica de seus cérebros --o córtex medial frontal, na superfície do órgão, junto à testa- estava ativo em suas duas metades, direita e esquerda, ambas focadas na mesma tarefa.

Isso já era esperado, pois essa área é recrutada pelo circuito cerebral que modula a motivação para perseguir objetivos de acordo com a recompensa.

Quando os voluntários passaram a ter de fazer duas tarefas ao mesmo tempo, porém, o perfil de ativação cerebral mudava. No experimento, isso foi demonstrado com as pessoas tendo de resolver dois quebra-cabeças distintos, um deles em letras maiúsculas e outro em letras minúsculas.

A recompensa para cada um era diferente, mas ambos vinham embaralhados nas mesmas palavras, obrigando os voluntários a resolvê-los no mesmo pacote.

Em espera

Nessa situação, a parte direita do córtex medial frontal se encarregava da tarefa que estava sendo resolvida no momento, enquanto a parte esquerda mantinha a outra "em espera". Quando os voluntários passavam à tarefa secundária, ela trocava de lugar no cérebro.

"Esperávamos ver uma repartição de objetivos, mas foi uma surpresa essa divisão ocorrer de modo tão nítido", disse Koechlin à Folha. O resultado é descrito hoje na revista especializada "Science".

Os neurocientistas sabem que os dois hemisférios do cérebro não funcionam paralelamente. É comum ouvir na cultura popular que o lado esquerdo é "racional", enquanto o direito é "intuitivo".

Desequilíbrio

É uma simplificação, mas o desequilíbrio existe. Regiões cerebrais essenciais para o funcionamento da linguagem, como a área de Broca, só existem do lado esquerdo. Não era de esperar, portanto, que em uma tarefa como o jogo de palavras usado o trabalho fosse simplesmente repartido meio a meio.

"Tarefas com letras normalmente envolvem predominantemente o hemisfério esquerdo", conta Koechlin. "Então, é notável termos descoberto que o lobo frontal direito dirige a tarefa em andamento durante a condição de dupla tarefa. Isso mostra que a divisão encontrada provavelmente não está relacionada a material verbal."

Segundo os pesquisadores, a raiz dessa estruturação no cérebro está na própria maneira de raciocinar. O experimento, dizem, sugere uma explicação sobre por que as pessoas gostam de resolver problemas complexos quebrando-os em decisões binárias, quando, em cada etapa, é preciso escolher uma entre duas opções.

Reportagem local por Rafael Garcia.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u721735.shtml

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Roberta Sá - Mais Alguém (DVD)

Odontologia: Saúde bucal em crianças com HIV

O impacto da saúde bucal na qualidade de vida de crianças infectadas pelo HIV

Em busca de uma melhora da saúde de pacientes sistemicamente comprometidos e um maior entendimento do impacto de doenças nas suas vidas, grande interesse tem sido dado à qualidade de vida relacionada à saúde, principalmente em crianças com doenças crônicas. Neste sentido, a qualidade de vida relacionada à saúde bucal tem sua importância haja vista que a mesma é um componente indissociável da saúde geral e também pela relevância dos problemas orais na vida destes pacientes. Assim, a avaliação de qualidade de vida relacionada à saúde bucal em pacientes infantis infectados pelo HIV pode ser de grande relevância uma vez que estas apresentam alta prevalência de doença cárie e periodontal, além da presença de manifestações orais da própria infecção pelo vírus. Dessa forma, o objetivo deste artigo é, através de uma revisão de literatura, apresentar alguns conceitos relacionados à qualidade de vida e utilização de instrumentos de avaliação da mesma, bem como analisar o impacto da saúde bucal na qualidade de vida de crianças infectadas pelo HIV.

Dentre as doenças crônicas de grande relevância para os pacientes infantis, destaca-se a infecção pelo HIV, uma vez que tiveram sua sobrevida aumentada com a terapia anti-retroviral, o que proporciona uma melhora significativa da QV para estes pacientes.



Fontes: Portal Odontologia e http://www.agenciaaids.com.br/

Video

video

Algumas citações de alguns filósofos, estudiosos e cientistas... para reflexão.

A 7ª Arte: Festival de Cannes


Divulgada a lista de filmes que estarão no Festival de Cannes de 2010


Na manhã desta quinta-feira (15/4), foram anunciados, em Paris, os filmes que participarão do Festival de Cannes. São 16 longas-metragens que concorrem à Palma de Ouro, um dos prêmios de maior importância no mundo do cinema. Os filmes que integram a mostra Um Certo Olhar, Sessão da Meia-Noite e Sessão Especial também foram anunciados, além das produções exibidas e fora de competição.

Woody Allen terá seu filme You Will Meet a Tall Dark Strange exibido. O filme conta com Naomi Watts, Antonio Banderas, Anthony Hopkins, Josh Brolin e Freida Pinto no elenco. Wall Street - O Dinheiro Nunca Dorme, com Carey Mulligan, Shia LaBeouf, Charlie Sheen, Michael Douglas, dirigido por Oliver Stone também ganha espaço no festival, além de Tamara Drewe, de Stephen Frears.

Dos filmes que concorrem à Palma de Ouro estão Biutiful, do mexicano Alejandro González Iñárritu, Another Year, de Mike Leigh, Copie Conforme, de Abbas Kiarostami, e outros 13.


O Festival de Cannes acontece entre os dias 12 e 23 de maio deste ano e Robin Hood, protagonizado por Russel Crowe e dirigido por Ridley Scott, é o filme que abre o evento.

Filmes que competem à Palma de Ouro

Tournée, de Mathieu Amalric
Des Hommes et des Dieux, de Xavier Beauvois
Hors la Loi, de Rachid Bouchareb
Biutiful, de Alejandro González Iñarritu
Un Homme que Crie, de Mahamat-Saleh Haroun
Housemaid, de Sangsoo Im
Copie Conforme, de Abbas Kiarostami
Outrage, de Takeshi Kitano
Poetry, de Chang-dong Lee
Another Year, de Mike Leigh
Fair Game, de Doug Liman
You. My Joy, de Sergei Loznitsa
La Nostra Vita, de Daniele Luchetti
Utomlyonnye Solntsem 2, de Nikita Mikhalov
La Princesse de Montpensier, de Bertrand Tavernier
Loong Boonmee Raleuk Chaat, Apichatpong Weerasethakul

Mostra Um Certo Olhar

Blue Valentine, de Derek Cianfrance
O Estranho Caso de Angélica, de Manoel de Oliveira
Les Amours Imaginaires, de Xavier Dolan
Los Labios, de Ivan Fund e Santiago Loza
Simon Werner a Disparu, de Fabrice Gobert
Film Socialisme, de Jean-Luc Godard
Unter die Stadt, de Christoph Hochhäusler
Rebecca H. (Return to the Dogs), de Lodge Kerrigan
Pál Adrienn, de Ágnes Kocsis
Udaan, de Vikramaditya Motwane
Marti, Dupa Craciun, de Radu Muntean
Chatroom, de Hideo Nakata
Aurora, de Cristi Puiu
Ha ha ha, de Sangsoo Hong
Life Above All, de Oliver Schmitz
Octubre, de Daniel Vega
R U There, de David Verbeek
Rizhao Chongqing, de Xiaoshuai Wang

Fora de Competição

You Will Meet a Tall Dark Stranger, de Woody Allen
Tamara Drewe, de Stephen Frears
Wall Street - O Dinheiro Nunca Dorme, de Oliver Stone

Sessões da meia-noite

Kaboom, de Gregg Araki
L'autre Monde, de Gilles Marchand

Sessões especiais

Inside Job, de Charles Ferguson
Over Your Cities Grass Will Grow, de Sophie Fiennes
Nostalgia de la Luz, de Patricio Guzman
Draquila - L'Italia che Trema, de Sabina Guzzanti
Chantrapas, de Otar Iosseliani
Abel, de Diego Luna


Fonte: http://cinema.cineclick.uol.com.br

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Imagem de hoje


O nince africano? Essa mãe sabe o que faz.




"Fiz o que quis e fiz com paixão. Se a paixão estava errada, paciência. Não fiquei vendo a vida passar, sempre acompanhei o desfile".
(Mário Lago)

Ponto turístico: Mercado Municipal de São Paulo




MERCADO MUNICIPAL DE SÃO PAULO

O Mercado Municipal de São Paulo, inaugurado em 1933, é um importante entreposto comercial de atacado e varejo, especializado na comercialização de frutas, verduras, cereais, carnes, temperos e outros produtos alimentícios. O Mercado localiza-se no centro antigo da Capital Paulista, sobre uma área ganha ao Rio Tamanduateí, no bairro Mercado na antiga Várzea do Carmo.

História
O edifício, em estilo eclético, foi construído entre 1928 e 1933 pelo escritório do renomado arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo, sendo o desenho das fachadas de Felisberto Ranzini. No interior, magníficos vitrais de Conrado Sorgenicht Filho mostram vários aspectos da produção de alimentos.

O entreposto foi totalmente reformado em 2004, na administração da prefeita Marta Suplicy. A fachada foi recuperada, os vitrais foram restaurados e foi construído um mezanino, de autoria do arquiteto Pedro Paulo de Mello Saraiva, com diversos quiosques de comes e bebes. Graças à reforma, o Mercado é hoje um ponto de encontro dos paulistanos. Atualmente está sendo cogitada a construção de um estacionamento subterrâneo para facilitar o acesso dos visitantes, mas ainda não há data prevista para o início das obras.
Quer for a São Paulo não pode deixar de conhecer o Mercado Municipal, onde se degusta do melhor pastel de bacalhau e do famoso sanduíche de mortadela do paulistano.
Fotos de André Ribeiro

terça-feira, 13 de abril de 2010

Medicina: Novo Código de Ética Médica

Novo Código de Ética Médica Brasileiro



A partir de hoje, 13 de abril, entra em vigor o novo Código de Ética Médica, que deve alterar toda a relação entre médico e paciente. Revisado após mais de 20 anos, ele traz novidades como a previsão de cuidados paliativos, o reforço à autonomia do paciente, e regras para reprodução assistida e manipulação genética. Outros temas que tiveram suas diretrizes revistas, atualizadas e ampliadas se referem à publicidade médica, ao conflito de interesses, ao direito do paciente à segunda opinião, à responsabilidade médica e à interação dos profissionais com planos de financiamento, cartões de descontos ou consórcios.



Foram dois anos de discussão para que 400 delegados de conselhos de classe definissem as 118 normas que vão estabelecer como médicos devem atuar em clínicas, hospitais, consultórios e outros serviços de saúde. O objetivo, segundo os formuladores, foi construir um código atento aos avanços tecnológicos e científicos, à autonomia e ao esclarecimento do paciente, além de reconhecer claramente o processo de “terminalidade” da vida humana.



No seu processo de formulação, além de serem consideradas as mudanças sociais, jurídicas e científicas, os responsáveis também analisaram os códigos de ética médica de outros países e consideraram elementos de jurisprudência, posicionamentos que já integram pareceres, decisões e resoluções da Justiça, das Comissões de Ética locais e as resoluções éticas dos conselhos médicos editadas desde 1988. Além disso, contaram com 2.677 contribuições enviadas por médicos e entidades de todo o país.
Tomara que com o novo código de ética médica, o relacionamento entre médico e paciente melhorem ainda mais. O paciente seja mais tratado com justiça e esclarecimentos.

Odontologia: O que é a Odontologia Legal?

Odontologia Legal

Área da odontologia que trata da tanatologia (investigação da identificação humana pós-morte e, no caso, dos problemas médico-legais com ela relacionados), a infortunística (ramo da medicina e do direito que estuda os acidentes do trabalhos e suas conseqüências) e a deontologia (o estudo dos princípios, fundamentos e sistemas de moral) em todos os seus aspectos, incluindo a ética.

A identificação humana pós-morte é uma das grandes áreas de estudo e pesquisa da Medicina e Odontologia Legal, pois as duas ciências trabalham com o mesmo material, ou seja, o corpo humano, em vários estados do pós-morte (esquartejado, dilacerado, carbonizado, macerado, putrefeito, em esqueletização e esqueletizado), sempre com o mesmo objetivo, ou seja, estabelecer a identidade humana.

O Odontolegista atua em todos os níveis periciais, e como tal, pode ser nomeado pelo Juiz para atuar em perícias criminais e civis, além de poder ser nomeado como assistente do réu ou da vítima.

A ciência avançou, a Odontologia Legal avançou
As técnicas de DNA abriram uma grande perspectiva para o dentista, porque até mesmo naqueles casos onde o vestígio humano é ínfimo, ele tende ser sempre ou quase sempre os dentes, pois eles são as peças mais resistentes do corpo humano. Sabemos que dentes resistem muito mais que outro tecido à degradação pós-morte e às variações de temperatura e pressão. Então, o dentista é constantemente chamado porque além da tradicional identificação de arcadas, que é rápida, simples e barata, ele tem a possibilidade de executar a identificação por meio dos exames de DNA das peças mais resistentes do organismo, os dentes.

A chegada do DNA na investigação em Odontologia Legal
Vimos por esses casos realmente históricos e em milhares de outros eventos (guerras, acidentes aéreos, incêndios, assassinatos acompanhados pela imprensa) que "análises odontológicas foram um determinante seguro na procura por identificação de restos humanos específicos nos últimos séculos. No final dos anos 80 - do século 20 - apareceu uma notável tecnologia que integra um fato curioso sobre o gênero humano, esmalte e odontologia legal, diz o dr. Harold Slavkin, do National Institute of Dental Research (NIDR), em Bethseda, Maryland, EUA.

Não somente as formas, contornos e tamanhos dos dentes humanos indicam o sexo biológico, avanços científicos recentes patrocinados pelo NIDR mostram que a mais importante proteína encontrada no esmalte humano - amelogenina - tem uma 'assinatura' diferente (ou tamanho e padrão da seqüência de nucleotídeos) no esmalte de homens e mulheres. A diferença no tamanho e padrão desse dois genes é bastante suficiente para ser usada como um determinante eficiente de sexo em amostras muito pequenas de DNA obtidas de esqueletos e restos humanos.

Confiável e barato, o método de identificação dentária permanece como o mais consistente, já nas situações onde registros dentários não são disponíveis as amostras de DNA são a estratégia ideal, o que se vê constantemente em casos de investigações criminais e jurídicas.

No passado, confiamos em impressões digitais, métodos odontológicos, radiológicos e patológicos para identificação, agora, em adição a esses métodos, as ferramentas da biologia molecular estão sendo usados com uma freqüência cada vez maior, e a identificação vem sendo baseada em tipificação de DNA, uma nova abordagem para a busca da identidade.




Fonte: http://odontologika.uol.com.br/odonto_legal.htm e www.abo.org.br (foto)

Odontologia: Saúde dos dentes proporciona melhor desempenho para o Atleta

Atletas que tratam os dentes têm maior desempenho esportivo



Quem pratica esportes deve ter condições físicas adequadas para competir sem riscos de traumas ou diminuição do rendimento físico.

Uma simples dor de dente, por mais sutil que seja, pode fazer a diferença em uma prova decisiva de natação, por exemplo. Isto porque a saúde da boca envolve mecanismos que abrangem várias funções do corpo, como respiração e circulação.

O COB-Comitê Olímpico Brasileiro já havia notado a importância de um acompanhamento dentário em atletas na comissão de Medicina Esportiva para os jogos de Atenas, quando especialistas no Brasil começaram a prestar serviços particulares a esportistas de clubes, academias e federações.

A Odontologia Desportiva é uma área com fortes chances de expansão, dada a importância não só no tratamento de doenças, como também na prevenção. Basta lembrar de um fato curioso ocorrido em 1996: Ronaldinho, eleito o melhor jogador do mundo, quase foi dispensado do São Cristóvão, time que defendia aos 15 anos de idade, graças ao baixo desempenho esportivo. Não era por acaso: tinha dois canais e uma grave falha ortodôntica, que o fazia respirar pela boca, comprometendo seu condicionamento aeróbico. Foi por este e outros episódios que nasceu a Associação Brasileira de Odontologia Desportiva, fundada por dentistas de todo país, com um enfoque multidisciplinar, incluindo palestras e cursos a profissionais que desejam se aprofundar no assunto.

Segundo o cirurgião-dentista Leonardo Marchini, formado pela FOSJC-UNESP, os atletas precisam de um tratamento diferenciado, não só para cuidar de eventuais doenças, como para prevenir traumas nos dentes. “A odontologia desportiva oferece protetores bucais e placas de mordida que variam conforme o tipo de esporte. Eles podem ser encontrados tanto em lojas de material esportivo como ser confeccionados por dentistas em laboratórios, de acordo com a necessidade de proteção do atleta. Normalmente, esportes radicais, lutas marciais e competições de quadra são os que mais expõem os dentes a fraturas“, explica o dentista.

Dados curiosos divulgados pela National Youth Sports Foundation, revelaram que cerca de 5 milhões de dentes são perdidos por ano em atividades esportivas. Outra fonte de pesquisa, a ADA-American Dental Association-constatou que pelo menos 200 mil traumas são evitados devido aos protetores bucais. Não é em vão que dentistas e fabricantes do produto estão investindo pesado nesta forma de prevenção.

Mas quando prevenir não é suficiente, dentistas desportivos devem ter aparatos para tratar os traumas quando eles já tiverem ocorrido. “Aí fica a cargo do profissional recorrer a tratamentos restauradores diretos ou indiretos, que envolvem próteses, facetas e inscrustações”, explica o Dr Leonardo.

A cirurgia-dentista Ana Paula Falcão, formada pela Universidade de São Paulo, presta assistência particular a atletas e também acredita que dor e desconforto causados por problemas odontológicos são suficientes para prejudicar o desempenho e falta de concentração. “É possível associar sintomas físicos a problemas bucais, principalmente pulpite e dores orofaciais. Além disso, respiração feita pela boca pode agravar o problema. Se realizado em conjunto com a otorrinolaringologia e fonoaudiologia, o acompanhamento odontológico pode tratar formas respiratórias inadequadas”, afirma a especialista.

"Uma vez que a consciência da importância odontológica nos esportes vem aumentando, acredito que a tendência de aprofundamento e especialização neste campo vai crescer nos próximos anos, especialmente no Brasil”, afirma Dr Ana Paula.



Fontes: Agência Brasileira de Notícias e http://odontologika.uol.com.br/atletasdentes.htm

domingo, 11 de abril de 2010

Medicina: Dra. Rita Levi Montalcini - um exemplo de estudo, dedicação, esperança e caridade.




Dra. Rita Levi Montalcini

Entrevista com a Dra. Rita Levi Montalcini completou 100 anos em 22 de abril de 2009 e recebeu o Prêmio Nobel de Medicina quando tinha 77 anos. Rita Levi Montalcini, nasceu em Turín, Itália em 1909 e obteve o titulo de Medicina na especialidade de Neurocirurgia.

Por causa de sua ascendência judia se viu obrigada a deixar a Itália um pouco antes do começo da II Guerra Mundial. Emigrou para os Estados Unidos onde trabalhou no Laboratório Victor Hambueger do Instituto de Zoologia da Universidade de Washington de Saint Louis.
Seus trabalhos junto com Stanley Cohen, serviram para descobrir que as células solo começam a se reproduzir quando recebem a ordem para isso, ordem que é transmitida por umas substâncias chamadas fatores do crescimento.
Obteve o Prêmio Nobel de Fisiologia na Medicina no ano 1986, que compartilhou com Stanley Cohen.

ENTREVISTA CONCEDIDA EM 22/12/2005:

- Como vai celebrar seus 100 anos?
-Ah, não sei se viverei até lá, e, além disso, não gosto de celebrações. No que eu estou interessada e gosto é do que faço cada dia.!


-E o que você faz?
-Trabalho para dar uma bolsa de estudos para as meninas africanas para que estudem e prosperem … elas e seus paises. E continuo investigando, continuo pensando.


-Não vai se aposentar?
-Jamais! Aposentar-se é destruir cérebros! Muita gente se aposenta e se abandona… E isso mata seu cérebro. E adoece.



-E como está seu cérebro?
-Igual quando tinha 20 anos! Não noto diferença em ilusões nem em capacidade. Amanhã vôo para um congresso médico.


- Mas terá algum limite genético ?
- Não. Meu cérebro vai ter um século…., mas não conhece a senilidade.. O corpo se enruga, não posso evitar, mas não o cérebro!


-Como você faz isso?
- Possuímos grande plasticidade neural: ainda quando morrem neurônios, os que restam se reorganizam para manter as mesmas funções, mas para isso é conveniente estimulá-los!
-Ajude-me a fazê-lo.
-Mantenha seu cérebro com ilusões, ativo, faz ele trabalhar e ele nunca se degenera.



-E viverei mais anos?
-Viverá melhor os anos que vive, é isso o interessante. A chave é manter curiosidades, empenho, ter paixões….


-A sua foi a investigação cientifica…
-Sim e segue sendo.



-Descobriu como crescem e se renovam as células do sistema nervoso…
-Sim, em 1942: dei o nome de Nerve Growth Factor (NGF, fator do crescimento nervoso), e durante quase meio século houve dúvidas, até que foi reconhecida sua validade e em 1986, me deram o premio por isso.



-Como foi que uma garota italiana dos anos vinte converteu-se em neurocientista?
-Desde menina tive o empenho de estudar. Meu pai queria me casar bem, que fosse uma boa esposa, boa mãe… E eu não quis. Fui firme e confessei que queria estudar.



-Seu pai ficou magoado?
-Sim, mas eu não tive uma infância feliz: sentia-me feia, tonta e pouca coisa… Meus irmãos maiores eram muito brilhantes e eu me sentia tão inferior…



-Vejo que isso foi um estimulo…
- Meu estimulo foi também o exemplo do médico Albert Schweitzer, que estava em África para ajudar com a lepra. Desejava ajudar aos que sofrem, isso era meu grande sonho…!



-E você tem feito…, com sua ciência.
- E, hoje, ajudando as meninas da África para que estudem. Lutamos contra a enfermidade, a opressão da mulher nos paises islâmicos por exemplo, além de outras coisas…!


- A religião freia o desenvolvimento cognitivo?
-A religião marginaliza muitas vezes a mulher perante o homem, afastando-a do desenvolvimento cognitivo, mas algumas religiões estão tentando corrigir essa posição.


-Existem diferencias entre os cérebros do homem e da mulher?
- Só nas funções cerebrais relacionadas com as emoções, vinculadas ao sistema endócrino. Mas quanto às funções cognitivas, não tem diferença alguma.



-Por que ainda existem poucas cientistas?
- Não é assim! Muitos descobrimentos científicos atribuídos a homens, realmente foram feitos por suas irmãs, esposas e filhas.


-É verdade?
- A inteligência feminina não era admitida e era deixada na sombra. Hoje, felizmente, tem mais mulheres que homens na investigação cientifica: as herdeiras de Hipatia!


- A sábia Alexandrina do século IV…
- Já não vamos acabar assassinadas nas ruas pelos monges cristãos misóginos, como ela. Claro, o mundo tem melhorado algo…


-Ninguém tem tentado assassinar a você…
- Durante o fascismo, Mussolini quis imitar o Hitler na perseguição dos judeus…, e tive que me ocultar por um tempo. Mas não deixei de investigar: tinha meu laboratório em meu quarto…E descobri a apoptose, que é a morte programada das células!



-Por que tem uma alta porcentagem de judeus entre cientistas e intelectuais?
- A exclusão estimula entre os judeus os trabalhos intelectivos e intelectuais: podem proibir tudo, mas não que pensem! E é verdade que tem muitos judeus entre os prêmios Nobel…



-Como você se explica a loucura nazista?
- Hitler e Mussolini souberam como falar ao povo, onde sempre prevalece o cérebro emocional por cima do neocortical, o intelectual. Conduziram emoções, não razões!



- Isto está acontecendo agora?
- Porque você acha que em muitas escolas nos Estados Unidos é ensinado o creacionismo e não o evolucionismo?



-A ideologia é emoção, é sem razão?
- A razão é filha da imperfeição. Nos invertebrados tudo está programado: são perfeitos. Nós não e, ao sermos imperfeitos, temos recorrido a razão, aos valores éticos: discernir entre o bem e o mal é o mais alto grau da evolução darwiniana!



-Você nunca se casou ou teve filhos?
- Não. Entrei no campo do sistema nervoso e fiquei tão fascinada pela sua beleza que decidi dedicar todo meu tempo, minha vida!



- Lograremos um dia curar o Alzheimer, o Parkinson, a demência senil?
- Curar… O que vamos lograr será frear, atrasar, minimizar todas essas enfermidades.


- Qual é hoje seu grande sonho?
- Que um dia logremos utilizar ao máximo a capacidade cognitiva de nossos cérebros.


- Quando deixou de sentir-se feia?
- Ainda estou consciente de minhas limitações!


-Que tem sido o melhor da sua vida?
-Ajudar aos demais.


-O que você faria hoje se tivesse 20 anos?
-Mas eu estou fazendo!!!!

* enviado por Berenice Teodorovicz

Fonte: http://canilisabianc.blogspot.com/2009/11/entrevista-com-dra.html



sábado, 10 de abril de 2010

Revista Veja dessa semana (11-04-2010)


"Culpar as chuvas é demagogia. Os mortos do Rio de Janeiro que o Brasil chora forma vítimas da política criminosa de dar barracos em troca de votos". Veja

Imagem de hoje: Determinação e equilíbrio

"Qualquer coisa que você possa fazer, ou sonha que possa fazer, comece a fazê-la. A ousadia tem em si genealidade, força e magia".
(Goethe, poeta e escritor alemão, 1749 - 1836)

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Texto: Fazendo alguma coisa...

Fazendo alguma coisa...

Aprendemos a dar valor à vida.
A valorizar alguém.
Descobrimos os segredos da existência.
Uma descoberta de si mesmo.
Impulsionamo-nos na busca de um sentido maior.
Um impulsionar em amor inteiro.
Reviramos o passado, uma reviravolta no tempo.
No entrelaçar planos, sentidos e vida.
Nos tornamos relicário por uma paixão em uma estrada.
E no desenho traçamos nosso destino.
Vivemos em um mundo de sons e imagens.
Para contemplar sonhos e desejos.
Escrevemos nossa história para se eternizar ao tempo.
Uma escrita no palco e no vento.
Transcrevemo-nos a um futuro longíquo, mas no entanto, perto.
Numa ressalta de incoerência profunda.
Aprendemos a sentir um pouco de nós mesmos.
E "voamos". Um delírio que se sonha acordado.
Distiguimos o bem do mal.
E nunca sobre eles. Há sempre uma visão turva do dia-a-dia.
Poderíamos ir além do limite e entoar uma nova trilha sonora.
E esquecer o passado e os contratempos.
Dedicamo-nos a arte da solidariedade, pelo menos acreditamos.
No fraterno momento de ajudar.
Aprendemos a olhar para a vida.
A olhar para alguém.
Buscamos a felicidade como meio nobre de viver mais.
Trata-se de um momento feliz e duradouro.
Ouviremos o cantar das ondas?
Ouvirei o meu coração bater "taqueteando" em batidas de intença emoção.
E com isso lidarei com as incertezas.
Para somente ter um sentido na vida.
E esperar uma nova, das mais novas tecnologias do mundo.
Para descobrirmos o choro, a evolução e os passos de alguém.
Porque são nossas lágrimas que despertam e mudam nossas vidas.


André Ribeiro

Odontologia: Prevenção em Saúde Bucal na Melhor Idade.



Idosos: Prevenção na Saúde Bucal



Uma doença que ocorre com frequência com idosos é a doença periodontal. Ela acomete os tecidos em torno dos dentes e quase sempre é indolor. E devido a isto, quando percebe-se que tem a doença periodontal, já ocorreu uma boa perda óssea nos dentes afetados. Ela tem como agente causador a placa bacteriana que se acumula sobre as superfícies do esmalte dentário e no sulco gengival (fica na margem gengival entre a parte branca do dente e o tecido gengival) e isto vai formar o tártaro com o passar dos meses.


A prevenção da doença periodontal, assim como a cárie dentária, é conseguida através da remoção eficiente da placa bacteriana a cada refeição. Para prevenir estas doenças é fundamental uma higiene bucal bem executada, através do uso de dispositivos como escova, fio dental, escova interdental, pastas dentais fluoretadas, soluções para bochecho com flúor (enxaguátorios bucais) e limpadores de língua.


Em relação ao tipo de escova, esta deve ser individualizada, mas recomenda-se escova de textura macia, com "cerdas planas".


A escovação requer o emprego de técnicas adequadas, e no caso dos idosos que possuem boa coordenação motora, a seguinte técnica é uma das mais recomendadas:


A - Começar limpando as superfícies internas dos dentes inferiores (que ficam embaixo no fundo da boca do lado e na frente da língua), sendo que a escovação deve ser realizada segurando a escovação verticalmente em um ângulo de 45 graus em direção a linha gengival e usar movimentos rítmicos suaves para cima e para baixo com a ponto da cabeça da escova;


B - Depois limpar as superfícies externas dos dentes inferiores, que ficam localizadas embaixo ao lado das bochechas e atrás dolábio inferior da boca. Usar movimentos rítmicos suaves e curtos, movendo a escova para trás e para frente contra os dentes e a gengiva;


C - Após isto, limpara as superfícies internas dos dentes superiores, que ficam em cima no fundo da boca e nas superfícies internas dos dentes da frente e depois as superfícies externas dos dentes superiores, que ficam no fundo da boca ao lado das bochechas e atrás do lábio superior da boca. Durante toda a escovação nunca se esqauecer da margem gengival e os dentes porteriores, que são os mais difíceis de alcançar e para as áreas situadas ao redor de restaurações e coroas;


D - Depois de limpar todas as superfícies internas e externas dos dentes, deve-se limpara as superfícies de mastigação tanto em cima com em baixo das arcadas dentárias, concentrando-se na limpeza de cada setor da boca.



Nas regiões entre os dentes é importante também a utilização do fio dental ou da escova interdental, pois removem a placa bacteriana e alimentos que ficam nestas regiões e abaixo das gengivas. Para idosos que tem boa coordenação motora, deve-se utilizar o fio dental da seguinte forma:


I - Enrolar aproximadamente 50 cm de fio dental nos dedos médiox, segurando-o com o polegar e o indicador;

II - Passar o fio dental esticado entre os dentes, nos sentidos horizontal e vertical alternadamente;
III - Penetrar um pouco o fio na gengiva e deslizar em movimentos suaves e leves.


O fio dental deve ser utilizado após as refeições. Mas é importante ressaltar que no caso específico dos idosos, a escova interdental é muito eficiente e mais fácil de usar do que o fio dental e, portanto, é mais recomendada.

Deve-se escovar a também a língua, pois é um local onde muitas bactérias ficam alojadas e costumam ficar restos de alimentos, e que proporcionará um hálito agradável. Neste caso, o limpador de plástico de língua, uma vez por dia, é extremamente importante para os idosos em geral. E quanto mais os idosos forem dependentes de pessoas cuidadoras para a realização da higienização, mais importante é o uso do limpador de plástico.
Os enxaguatórios bucais contêm substâncias químicas que atuam nas bactérias presentes na cavidade bucal, sendo utilizados para controle e na redução da formação da placa bacteriana. Os idosos só devem utilizá-los de acordo com a prescrição e orientação feitas pelo cirurgião dentista, e que deve orientar quanto à forma e tempo de uso no seu caso em particular. Os enxaguatórios bucais realizam função importante para idosos com problemas motores, no caso daqueles com Mal de Parkinson e doença de Alzheimer, e então não conseguem fazer uma escovação adequada, sendo aí usados aqueles à base de Gluconato de Clorhexidina após cada limpeza dos dentes.

Vale lembrar que o uso contínuo dos enxaquatórios é contra-indicado para idosos que não sejam capazes de utilizar o medicamento sem acompanhamento (cuidador), pois existe o perigo de deglutição. Mas é importante enfatizar que o uso dos enxaquatórios bucais deve ser racional, ou seja, indicado somente nos casos recomendados pelo cirurgião dentista.





Trabalho realizado por:

Marco Tulio Pettinato Pereira
Cirurgião dentista com especialização em Saúde da Família (UCAM), Saúde Coletiva (SL Mandic) e Saúde Pública (UNAERP)


Fernando Luiz Brunetti Montenegro
Mestre e Doutor FOUSP, Prof. Adjunto na UnG, Coordenador Saúde Bucal CEDPES e Casa Ondina Lobo


quarta-feira, 7 de abril de 2010

Mensagem de hoje



"Quatro características deve ter um juiz: ouvir cortesmente, responder sabiamente, poderar prudentemente e decidir imparcialmente".
Sócrates

terça-feira, 6 de abril de 2010

Odontologia: Aftas

Aftas após instalação de aparelhos ortodônticos: porque isso ocorre e protocolo de orientações e condutas


Alberto ConsolaroI; Maria Fernanda M-O ConsolaroII

IProfessor titular em Patologia da FOB (graduação e pós-graduação) e da FORP (pós-graduação) - USP
IIProfessora doutora pela FOB-USP e ortodontista privada em Bauru


A palavra afta literalmente significa "eu inflamo", ou "eu ascendo" ou, ainda, "eu queimo". Inicialmente, foi utilizada na Grécia por Hipócrates, o pai da Medicina, para identificar o "sapinho" ou candidose pseudomembranosa em crianças. Mais tarde, seu uso se estendeu para toda e qualquer ulceração nas mucosas.

O termo úlcera deve ser reservado a lesões de superfície sem tendência à reparação depois de duas semanas, enquanto a palavra ulceração pode ser aplicada àquelas lesões com tendência ao reparo, como acontece com as aftas bucais.



Fonte: Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial Print version ISSN 1415-5419
Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial vol.14 no.1 Maringá Jan./Feb. 2009


Leia o artigo completo no endereço abaixo:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-54192009000100003&script=sci_arttext

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Odontologia: História da Odontologia

HISTÓRIA DA ODONTOLOGIA


No Brasil, no século XVI, a Odontologia era exercida pelos chamados "Sangradores" e por Barbeiros. Estes não possuíam qualquer instrumental ou conhecimento científico sobre o que faziam, ou seja, coisas como higiene, controle de infecção, segurança não existia. deveriam ser fortes, impiedosos, rápidos em suas tarefas e impassíveis. Aprendiam com outros mais experientes e eram de baixo coeficiente intelectual.



Nesta época, os Cirurgiões e Médicos alegavam altos riscos para os pacientes que se submetessem a estas "cirurgias", pois o risco de hemorragia e morte era alto.



Em 1600, a odontologia passou a ser exercida por Cirurgiões e Barbeiros porém sob licença especial do "Cirurgião-Mor". Os que não possuíam licença eram autuados, presos e multados em 3 marcos de ouro (de acordo com a Carta Régia de 25/10/1448, de El-rei D. Afonso , de Portugal). Em 09/11/1629, os Barbeiros e Cirurgiões passaram a fazer exame para realizar suas funções (Carta Régia), sendo a multa para os que retirassem dentes sem licença de 2.000 réis. Para tal, os que se prestavam aos exames tinham que provar que "sangravam" e eram barbeiros por pelos 2 anos.



A extração de dentes, nesta época, era considerada uma cirurgia de pouca importância.



Em 1728, o francês Piérre Fauchard (1678-1761) revolucionou a odontologia com seu livro: Le Chirurgien Dentiste au Traité des Dents". Nele havia inovações de conhecimentos, criação de técnicas e aparelhos. Com isso foi chamado de "O pai da Odontologia Moderna".



Por ocasião da exploração do ouro em Minas Gerais, foi nomeado, pela Casa real Portuguesa, como Cirurgião-Mor deste estado, José S. C. Galhardo, o qual regulamentava os práticos da arte dentária.



Em 1728, foi criada a Real Junta de Proto-Medicato, pela Lei de 17/06 deste ano, em lugar dos físicos e cirurgião-mor. Esta Junta era constituída por: 7 deputados, médicos ou cirurgiões por um período de 3 anos. Caberia a estes o exame e a expedição de cartas e licenciamento das pessoas que iriam trabalhar com a retirada dos dentes.



Eis que surge Joaquim José da Silva Xavier (1746-1792). Este, após ter aprendido a Odontologia com seu padrinho, Sebastião Ferreira Leitão, "retirava dentes com efeito, com a mais sutil ligeireza e ornava a boca de novos dentes, feitos por ele mesmo, que pareciam naturais", palavras de Frei Raymundo de Pennaforte, seu confessor.



Os instrumentos desta época eram as chaves de Garangeot (alavancas) e o Pelicano. As obturações eram de chumbo e não se tratavam canais de dentes (eram extraídos). Para se confeccionar próteses, usava-se osso ou marfim que eram amarrados aos dentes que sobrassem. As dentaduras eram esculpidas em osso ou marfim, utilizando-se dentes humanos e de animais, retendo-as a boca por intermédio de molas (modelo europeu), porém no Brasil era tudo muito mais rudimentar.



Em 23/05/1800 cria-se o vocábulo "Dentista". Este foi criado pelo francês Guy Chauliac (1300-1368), termo este que usou em seu livro "Chirurgia Magna"(1363).



Em 07/03/1808, chegava ao Brasil, em Salvador, o príncipe regente D. João VI, sua corte e a nata da sociedade portuguesa. nesta época houve um enorme progresso na Odontologia.



Foi criada a Escola de Cirurgia, no hospital de São José, graças à interferência do Dr. José Correa Picanço, físico e cirurgião-mor. Este licenciou alguns profissionais da corte, 7 negros e escravos.



Casos de traumatismos dentários eram registrados na época em correlação com ditos populares como: "ou casa, ou dente", "ou dente, ou queixo, ou beiço". A inabilidade dos "tira-dentes" era tamanha.



Para evitar tantas reclamações contra os "tira-dentes", o cirurgião-mor determinava em suas cartas que só se poderia retirar dentes com ordem de médico ou cirurgião aprovado e tinha que ser examinado o paciente que se submetesse à extração de dentes.



Em 07/10/1809, a responsabilidade pelo licenciamento da profissão era do físico-mor e do cirurgião-mor, quando foi abolida e Real Junta do Proto-Medicato. O físico-mor, Manoel Vieira da Silva, encarregado do controle do exercício da Medicina e Farmácia e o cirurgião-mor dos exércitos, José Correa Picanço, tinham estes poderes.



Com a Carta de Sangria alguns cirurgiões podiam exercer a profissão e nesta época surge o mestre Domingos, barbeiro popular no bairro da Saúde, no Rio de Janeiro. O negro mestiço exercia sua atividade também na casa dos clientes. Sob o braço levava uma esteira de taboa que servia de cadeira e uma enferrujada chave de Garangeot. Com algumas manobras intempestivas, retirava dentes visinhos aos que deveriam ser extraídos, porém só cobrava pelo dente a ser extraído. Costumava dizer que, se retirasse dentes de crianças, estes deveriam ser jogados no telhado, dizendo-se por 3 vezes: "Mourão, toma teu dente podre e dá cá o meu são".



Aos domingos encontrava-se um crioulo muito habilidoso, que fornecia dentaduras perfeitas para a época e que os clientes poderiam até escolher as que melhor se adaptassem.



Em1820, foi concedida a Carta ao francês Doutor Eugênio Frederico Guertin, diplomado pela Faculdade de Odontologia de Paris e no Brasil atingiu alto conceito. Atendia a maior parte da nobreza, inclusive D. Pedro II e familiares. Publicou, em 1819, "Avisos Tendentes à Conservação dos Dentes e sua Substituição". Esta obra, pelo que se consta, é a 1ª feita no Brasil.



Vários outros dentistas franceses chegavam ao Brasil, trazendo o que havia de melhor na Odontologia mundial.



Nesta época, as dentaduras eram constituídas por 2 fileiras de dentes, feitas de marfim ou adaptadas em base metálica, sendo as arcadas ligadas por molas elásticas.



Após a Independência do Brasil, Gregório Raphael Silva, do Rio de Janeiro, recebeu a primeira "Carta de Dentista"(01/06/1824).



D. Pedro I, em 1828, suprimiu o cargo de cirurgião-mór, sendo as funções deste cargo designadas às Câmaras Municipais e Justiças Ordinárias.



A única obra iconográfica realizada desta época relacionada à Odontologia chamava-se de "Boutiques de Barbarie" e retrata os seguintes dizeres: "barbeiro, cabeleireiro, sangrador e deitão bichas".



A 1ª Escola de Odontologia do mundo foi criada em Beltimore, EUA, por Chaplin Harris com o nome de Colégio de Cirurgia Dentária.



A Cirurgia Buco-maxilar teve como pioneiro o Dentista Português Luiz Antunes de Carvalho, o qual obteve riqueza e notoriedade. Sua propaganda era em versos e prosas, ou seja, o marketing na Odontologia estava despontando. Foi o 1º a receber a carta da Câmara Municipal, o 1º aprovado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e o 1º a se registrar na Junta de Higiene.



Com o tempo, os colegas americanos foram chegando e aos poucos superando os franceses. O pioneiro foi Luiz Burdell, depois Clintin Van Tuy, 1º a utilizar clorofórmio para anestesia, conforme seu livro: "Guia dos dentes Sãos, publicado em 1849.



Em 1850, pelo Decreto Lei 598, é criada a Junta de Higiene Pública tendo como primeiros dentistas a se registrarem: Luiz Antunes Carvalho (1852), Emílio Salvador Ascagne (1859) e Theotônio Borges Diniz (1860). esta junta evoluiu e muito a questão saneadora na Medicina e Odontologia.



Em setembro de 1859 surge a primeira revista odontológica: "Arte Dentária" graças a João Borges Diniz.



Mais dentistas chegavam ao Brasil, muitos fugindo da guerra da Secessão (1861-1865): Samuel I. Rambo, Carlos Koth, Witt Clinton Green...



Muitos brasileiros iam aos EUA se aperfeiçoar já que este país era o líder tecnológico e científico mundial. O primeiro foi Carlos Alonso Hastings, do Rio Grande do Sul, ao retornar modificou o motor Weber-Ferry, que ficou conhecido como motor de Hastings. Depois foi a vez de Fio Alves, RS, irmãos Gastal, de Pelotas...



De acordo com o decreto nº 8024 de 12/03/1881, art. 94 do regulamento para os exames de Medicina diz o seguinte: "Os cirurgiões-dentistas que quiserem se habilitar para o exercício de sua profissão passarão por 2 séries de exames:



1- Anatomia, histologia e higiene, em suas aplicações à arte dentária.

2- Operações e próteses dentárias



Assumindo a direção da Faculdade de Medicina, em 23/02/1880, Visconde de Sabóia resolveu atualizar o ensino, tanto no campo material quanto no científico, encomendando aparelhos e instrumentos dos EUA com o crédito especial concedido na Lei 3141 de 30/10/1882. Foi montado também um laboratório de prótese.



O Cirurgião-Dentista Thomas Gomes dos Santos Filho presta exames e passa em 1º lugar como preparador. A Odontologia Mundial muito deve a este Dentista de personalidade marcante, pois o mesmo descobriu a fórmula de vulcanite. Dessa forma, combateu os preços abusivos.Com um novo texto para o estatuto das Faculdades de Medicina do Império, foi estabelecido que a Odontologia formaria um Curso anexo, com as seguintes disciplinas:



1ª série: Física, Química Mineral, Anatomia Descritiva e Topografia de Cabeça.

2ª série: Histologia Dentária, Fisiologia Dentária, Patologia dentária e Higiene da Boca.

3ª série: Terapêutica Dentária, Cirurgia e Próteses Dentárias.



No Rio de Janeiro, os três primeiros mestres foram: Thomas Gomes dos Santos Filho, Aristides Benício de Sá (1854-1910) e Antônio Gonçalves Pereira da Silva (1851-1916) que prestaram relevantes serviços à Odontologia.



No Brasil, faz parte da História Odontológica, os seguinte dizeres: "MINIMIZAR OS PROBLEMAS DENTÁRIOS E MELHORAR A SAÚDE DENTAL".



De lá pra cá, muito se evoluiu na Odontologia. Novas descobertas em termos de instrumentos e materiais, crendices populares foram eliminadas... e um profissional Dentista hoje, é entendedor de toda a fisiologia do corpo humano, é claro que sua especialidade está em cabeça e pescoço, mas, diferentemente de épocas remotas, hoje é impossível não entender do homem como um todo, pois é comprovado que doenças em outras partes do corpo podem influenciar na saúde da boca e vice-versa.



Hoje em dia, ainda encontramos muitos desdentados no Brasil. O acesso à saúde não é globalizado; há carência de investimentos na Área de Saúde em geral e o acesso a esta pela maioria da população. Cabe aos Cirurgiões-Dentistas levar as informações básicas de saúde e higiene às pessoas para que nosso maior objetivo esteja sempre perto de ser alcançado: "Curar as pessoas".



Por Alexandre Carmelo (05/2003)
Fontes: http://drcarmelo.sites.uol.com.br/historia.htm e http://www.fjodontologia.com/

Visite o site: www.fjodontologia.com